segunda-feira, 3 de outubro de 2016

Acabou a invencibilidade de Pep: ligamos o alerta?

Calma, calma, calma. Não se trata do pensamento geralmente brasileiro de "perdeu um jogo e nada presta". Longe disso até. Mas devido ao passado recente do City, alguns pesadelos antigos voltaram à tona hoje a tarde no White Hart Lane.

Também não há nenhum traço onipotente por aqui. Temos que admitir que o Tottenham fez uma grande partida. Pressionou o City o tempo inteiro, fazendo o que Pep mais gosta de fazer. Hoje o espanhol provou do próprio veneno. O incansável time de Pochettino não deixou o City jogar. Deu pra ver na irritação de Bravo que os companheiros não estavam acostumados com tanta pressão, ao contrário dos antigos parceiros de Barcelona. Some isso ao fato de não termos De Bruyne, o que também não é desculpa, mas que fez com que Pep escolhesse Fernando pra frente da zaga, adiantando Fernandinho.

Fernando esteve numa péssima tarde e, cá entre nós, não tem o mesmo recurso que seu compatriota. Pochettinno escolheu bem sua tática e soube se aproveitar desde o início. Marcou os gols, poderia ter ampliado num penalti defendido por Bravo e poucas vezes foi realmente ameaçado no jogo. Foi uma vitória merecida, sem grandes sustos.

Então, por que o título do texto? Início de temporada, a liderança do campeonato, um início arrasador... será que não estou exagerado? Talvez. Mas se pegarmos a semana do City, é bom fazer uma análise mais crítica.



Nesses 3 jogos nos últimos 8 dias, o City de Pep voltou a apresentar alguns problemas do time de Pellegrini na última temporada. O que mais assustou, sem dúvidas, foi a volta do antigo Kolarov. O sérvio ficou no clube contra todas as previsões, sendo um dos mais criticados da torcida. Nos primeiros jogos, calou todos os críticos, inclusive o que está escrevendo. Parecia uma nova contratação do clube. Jogou como um dos melhores zagueiros do mundo em alguns jogos, fazendo com que Pep se derretesse em elogios: "Kolarov fez uma das melhores apresentações como zagueiro que eu já vi".

Contra o Swansea ele foi discreto, mas falhou feio contra o Celtic, pelo meio da semana na Champions League. O time sofreu 3 gols novamente, fato que estava se tornando comum com Pellegrini. Hoje, um dos gols contra mais bizarros da história do futebol. Kolarov estava sozinho, sem qualquer pressão, furou o corte e a bola bate no seu corpo e vai pro gol. Bravo não pode fazer nada. Depois disso, vimos o velho Kolarov de sempre: disperso, de chutões, deixando uma avenida no seu lado do campo. Ficou olhando Dele Ali marcar o segundo gol. No ataque, nada fez. Foi aquele jogador errático e sem confiança da temporada passada. Sem dúvidas, hora de ligar o alerta com ele.

Sterling merece um destaque também. Erros bobos, precipitação, muito nervoso. Por muito pouco não foi expulso. Promoveu embates com Rose e deu dois pontapés no lateral esquerdo do Spurs. Vi o primeiro erro de Pep no City, ao deixá-lo em campo por tanto tempo. Não estava efetivo e ainda arrumou toda essa confusão. Sané foi colocado aos 43 do segundo tempo. Não deu pra entender, Pep. Sterling deixou de lado suas belas atuações de início de temporada e entrou na provocação de Rose. É bom ligar o alerta.

Zabaleta e Otamendi também ficaram muito abaixo. Zaba, por sinal, parece mesmo ter perdido o nível de suas atuações. Não defende, não ataca, deixa a posição com frequência, expondo muito a zaga. Ele e Otamendi protagonizaram um lance de pelada hoje. o famoso "deixa que eu deixo", em que Lamela sairia de cara pro gol. Otamendi colocou a mão na bola e não foi advertido pelo juíz. No lance seguinte, deu um daqueles carrinhos desnecessários que a torcida do City tanto reclama e tomou o amarelo. Poderia ter sido expulso, caso o juíz tivesse mostrado o cartão no lance anterior. Mais uma vez, é hora de ligar o alerta pros dois.


Mas talvez o alerta principal pro City seja Kevin de Bruyne. Ou a falta do belga, pra ser mais exato. Pode ser cedo e imediatismo falar que nos dois jogos que ele não jogou o City não venceu. Mas é só olhar pra temporada passada pra lembrarmos que, depois da contusão que o afastou dos gramados por um bom tempo, o City tinha uma enorme dificuldade em vencer seus jogos. E perdeu todos os jogos importantes sem ele em campo: Leicester, Man United e o próprio Spurs, em pleno Etihad.


Não dá pra negar que hoje De Bruyne faz mais falta ao time que qualquer outro jogador, incluindo aí Sergio Aguero. Pep é esperto o suficiente pra saber disso, pois quando ficava sem Messi no Barça, era um Deus nos acuda. Que bom, pelo menos, que ele está descobrindo isso no início da temporada. Pellegrini só conseguiu descobrir isso na parte final, e o resultado todo mundo lembra.


Espn no Mundo

Nenhum comentário:

Postar um comentário