segunda-feira, 17 de outubro de 2016

ABC trucida Guarani no Frasqueirão e fica muito perto da decisão da Série C:

Jonas Carioca e Lúcio Flávio (dois cada) marcam na goleada por 4 a 0 em Natal, na primeira partida da semifinal. Bugre precisa de 5 na semana que vem para avançar,

 
Sete meses sem perder em casa não é para qualquer um. Também não é para qualquer um acabar com uma sequência de resultados assim. Na primeira partida da semifinal da Série C, o ABC comprovou toda a sua força no Frasqueirão e fez o que quis com o Guarani.

Pôs pressão, sufocou, marcou golaço e abriu grande vantagem na disputa para ver quem segue na disputa pelo título. A vitória por 4 a 0, gols de Jonas Carioca e Lúcio Flávio (dois cada), abrilhantou a noite alvinegra e acabou com a empolgação bugrina, uma semana após o acesso no Brasileiro.


O resultado deste sábado, diante de um excelente público em Natal (7.335 pagantes), torna as coisas quase impossíveis para quem precisa reagir. No confronto do próximo domingo, em Campinas (às 21h, mas que pode mudar de horário), o Guarani tem vencer por cinco gols de diferença, bem mais até do que na partida contra o ASA, nas quartas de final. A matemática é muito favorável ao ABC, que pode até perder por três gols de diferença que ainda assim garante a vaga na final da Série C. Novo 4 a 0, mas a favor do Bugre, leva jogo para os pênaltis.

Pelo que os times mostraram neste domingo, a vaga na final só muda de dono se acontecer um milagre imenso no Brinco de Ouro. Com dois gols em cada tempo, o ABC controlou totalmente os rumos da partida em Natal. Só não fez mais porque Leandro Santos ainda brilhou com três grandes defesas. O Guarani, nulo ofensivamente, levou pouco perigo. Marcou uma vez, com Fumagalli, mas o lance já estava parado por impedimento do camisa 10.


O ABC mandou em todo o primeiro tempo. Com raras exceções em que o Guarani chegou com certo perigo (Eliandro, por exemplo, perdeu um gol claríssimo em lance que goleiro e zagueiro trombaram), o time da casa fez valer o retrospecto elogiável no Frasqueirão. Saiu na frente com Jones Carioca aos 25 minutos e só não marcou antes porque Leandro Santos, o goleiro bugrino, fez duas belas defesas. A vantagem ficou maior em cobrança de falta de manual efetuada por Lúcio Flávio. Na barreira, Fumagalli, outro especialista em bola parada, só viu a bola entrar.

O maestro do Bugre passou a primeira etapa inteira vigiado de perto e pouco contribuiu para o desenvolvimento do jogo. O time de Marcelo Chamusca sentiu falta de dois nomes que mudaram o jogo contra o ASA, há uma semana. Desfalcado de Wesley e Renatinho, o técnico apostou de novo em Zé Antônio e Marcinho, na repetição do time que atuou em Arapiraca. A atuação dos dois, em especial do volante, colaborou para que o Guarani fosse absolutamente dominado. O ABC foi para o intervalo com a partida praticamente resolvida. Era só manter o nível.

O jogo seguiu exatamente a mesma linha do primeiro tempo, até porque o Guarani voltou com a mesma formação que não encaixou antes. O ABC começou a etapa final em ritmo mais lento, mas ainda assim com espaços para criar se forçasse a mão. Lúcio Flávio, em tabela com Jones Carioca, entrou na área e só parou em ótima intervenção de Leandro Santos. Um minuto depois, o camisa 11 do Mais Querido apareceu livre entre os zagueiros bugrinos e só escolheu o canto para marcar o terceiro.


As substituições de Chamusca indicaram o que foi o segundo tempo. Até Fumagalli saiu para a entrada de Alex Santana (Zé Antônio e Pipico foram os outros que nem terminaram o jogo em campo). Entregue, o Guarani ainda levou o quarto golpe. Lúcio Flávio fez mais um de falta, mas dessa vez por baixo da barreira. O gol empolgou ainda mais a torcida que encheu o Frasqueirão nesta noite e deu a quase certeza de presença na final. Os times voltam a se enfrentar daqui uma semana, no Brinco de Ouro, em Campinas. A diferença do placar é tão grande que fica difícil imaginar qualquer mudança de cenário.


Globo Esporte RN

Nenhum comentário:

Postar um comentário