quinta-feira, 10 de novembro de 2016

Márcio Mossoró Curte Boa Fase na Turqui, Mas Ainda Teme Atentados:

Jogador brasileiro está no Istanbul Basaksehir FK, atual líder do Campeonato Turco. Aos 33 anos, meia aproveita presença da família e não vê motivos para deixar o país.



Líder do Campeonato Turco pelo Istanbul Basaksehir FK, Márcio Mossoró jamais abandonou a cidade em que nasceu. O jogador de 33 anos construiu a carreira longe do Rio Grande do Norte, mas se tornou conhecido como "Mossoró". Depois de passar por Paulista, Internacional, Marítimo e Braga, de Portugal, teve uma rápida passagem na Arábia Saudita antes de chegar à Turquia, em 2014.

O bom momento no Basaksehir empolga o jogador potiguar, que já marcou quatro vezes na liga. Após 10 rodadas, a equipe lidera a competição, desbancando rivais como Besiktas, Galatasaray, Bursaspor e Fenerbahce. Mesmo após dois anos, o idioma ainda não deixou de ser problema para Márcio. No entanto, a presença da família contribui para a permanência do jogador no país. Ele também aponta as diferenças existentes dentro de campo entre o Brasil e a Turquia.

- Agora, estamos treinando de manhã por causa do frio europeu. A rotina de treino aqui é bem puxada, muito mais que no Brasil. Eu acho que o que dificulta mais (a permanência na Turquia), não só para mim, mas também para a minha família, é a comunicação. Eu falo um pouco de inglês e aí dá para se virar. Estou muito feliz aqui e pretendo continuar aqui. Se minha família estiver aqui comigo, eu fico 'numa boa' - afirmou.
A situação delicada da Turquia com os conflitos políticos e sociais acaba por gerar medo no meio-campista. Este ano, uma série de atentados terroristas aconteceu no país - inclusive em Istambul, onde o jogador mora. Em junho, a cidade foi alvo de um atentado no Aeroporto Kemal Atatürk, que resultou em 42 mortos e 200 feridos. Um mês depois, uma tentativa de golpe de Estado acabou com 265 mortos e 1.440 feridos, entre apoiadores e opositores do governo.
- Eu pensei em sair da Turquia. Fiquei assustado. Não é fácil para mim. Imagina se você está no estádio de futebol e explode uma bomba? Se aconteceu no aeroporto, que para mim é um dos lugares mais seguros, por que não poderia ser no estádio de futebol? E isso já aconteceu lá na França - completou o jogador.
Em Mossoró, a família de Márcio se preocupa com este risco, mas torce para que o jogador continue no país enquanto estiver feliz.

- Tudo bem ele ficar lá agora, não tem problema. Só se a situação (da Turquia) piorar. Mas ele está bem, não reclama de nada - afirma Geraldo Vieira, pai do jogador.
Um desejo

Apesar de afirmar que está feliz na Turquia, Márcio Mossoró não esconde a vontade de regressar para Portugal. No país, o jogador passou cinco anos (um de empréstimo ao Marítimo e quatro no Braga) e disputou mais de 200 partidas.

- Eu penso muito em poder voltar para Portugal ou então, se as coisas não derem certo lá, regressar para o Brasil. E que assim seja - completou.

 
 
Histórico
Depois de ser revelado pelo Ferroviário, do Ceará, Márcio Mossoró seguiu para o Paulista, em 2002. Foi vice-campeão do Paulistão em 2004 e, no ano seguinte, conquistou a Copa do Brasil. Depois, foi para o Internacional e conquistou os dois títulos mais importantes de sua carreira: a Libertadores de 2006 e a Recopa Sul-Americana de 2007. No título do Mundial de Clubes, o jogador estava lesionado e não viajou com o grupo colorado.

Logo após a Recopa, Márcio Mossoró deu os primeiros passos em terras estrangeiras. O jogador chegou ao Marítimo, de Portugal, por empréstimo em 2007, foi artilheiro do time no Campeonato Português de 2007/2008 e despertou o interesse do Braga, para onde se transferiu em 2008. Lá, ficou por quatro anos, foi para o Al-Ahli, da Arábia Saudita, em 2013 e, um ano depois, foi para o Istanbul Basaksehir FK.
 

Fonte: Globo esporte.com/ Rio Grande do Norte 

Nenhum comentário:

Postar um comentário