segunda-feira, 9 de julho de 2018

Lastro chega à final inédita da CPF:

 
O Lastro empatou em 3 x 3 com o Santos nessa tarde de domingo em Major Sales no último jogo das quartas de final e levou a melhor nas penalidades pelo placar de 4 x 2.

Durante o tempo normal, marcaram para o time paraibano, Kléber Demolidor duas vezes e Jucelino, para o time potiguar, Tonho duas vezes e um contra.

Como na partida do sábado, a do domingo também foi de muita integra por parte das equipes, jogando em casa com o apoio da torcia, o Santos foi pra cima e aos 7 minutos de bola rolando teve a seu favor um Pênalti.

Tonho foi o encarregado de fazer a cobrança, e o camisa 10 cobrou tirando do goleiro Betinho que ainda foi no canto certo,  fazendo 1 x 0 para o time do Santos,


Após o gol, a equipe da casa se fechou no campo de defesa, e o Lastro com bons jogador tocava a bola procurando uma brecha para entrar na defesa adversária.

Através do toque de bola, estava meio complicado, foi quando aos 20, Jucelino recebeu na esquerda e mandou forte no ângulo, sem chances para o goleiro Flávio, empatando o jogo em 1 x 1,


A equipe paraibana sentindo o bom momento no jogo, parte em busca da virada, e aos 24, Danilo Itaporanga rola para Jucelino, o meia bate de primeira e a bola vai para as mãos do goleiro Flávio.

O time de Major Sales que cedeu o empate, também busca as jogadas de ataque, Cotinga pela esquerda tenta cruzar e a bola vai direto, só que por cima do gol.

Diego que bate muito bem na bola, também tentou, aos 33, mas a passa por fora.

Já próximo de encerrar a primeira etapa, a equipe do Lastro chega ao ataque, Kleber recebe de Wikiti e bate forte de esquerda e abola vai no canto, é a virada do Lastro, 2 x 1,


Em desvantagem no marcador, não restou outra alternativa para o time da casa, partir pra cima, e aos 42, Eronildes bateu falta rasteiro, mas o goleiro Betinho pegou sem problemas.


Fim do primeiro tempo, com vitória parcial da equipe paraibana pelo placar de 2 x 1 de virada,


A segunda etapa começa com um vacilo da defesa do santos que entrega a bola de graça para Jucelino que lança Moisés, ele ganha na corrida contra a marcação e chuta para o gol, a bola bate na trave, e Kleber chega e só empurra para o fundo das redes, ampliando a vantagem para 3 x 1,


Um verdadeiro balde de água fria jogado no time da casa, que viu as coisas se complicarem ainda mais, se começou o segundo tempo em desvantagem de um gol, agora com dois, ficou pior ainda.

Mas a equipe empurrada pela sua torcida, não desiste e parte para cima.

Aos 17, cobrança de escanteio para o Santos, a bola bate na trave e sobra para Tonho, e ele empurra para o fundo do gol, descontando, Lastro 3 x 2 Santos,


O jogo ficava aberto, o time paraibano ainda na vantagem, mas via o perigo que o time da casa oferecia naquele momento.

Seguindo na base da raça, o Santos chegou novamente aos 22, Eronildes bate de longe, mas bola vai para fora.

O time paraibano, também vai ao ataque, querendo marcar o quarto gol e ter novamente uma vantagem mais folgada, aos 26, Jucelino bate falta rasteiro, mas a bola vai para fora, a esquerda do goleiro Flávio.

A equipe do Santos partiu para cima em busca do empate, e o Lastro saia nos contra-ataques, em um desses aos 30, Kleber recebe, puxa para direita e bate para a defesa do goleiro Flávio.

E na base da pressão e na raça, aos 43, Tonho faz jogada individual pela esquerda e cruza, Júlio tenta cortar e acaba jogando contra o patrimônio, empatando o jogo no Piozão, 3 x 3.

O gol causou muitas reclamações por parte dos jogadores e comissão técnica da equipe paraibana, Cemar que havia sido substituído ainda na primeira etapa, pois estava machucado, foi expulso do banco de reservas, e uma confusão generalizada se estabeleceu no campo,



Aos 45, Tonho recebe livre de marcação e bate forte, o goleiro Betinho espalma para escanteio.

O árbitro deu 7 minutos de acréscimo, e depois deu mais um, devido as paradas para atendimento ao atleta Tonho que recebeu forte pancada.

Com o placar em 3 x 3 acabou o jogo, sendo decidido nas penalidades.

O time do Lastro começou cobrando, a primeira cobrança foi do lateral Danilo Itaporanga, ele bateu e fez, 1 x 0 para o Lastro,

Tonho deixa tudo igual, 1 x 1.

Sandrinho deixa o time paraibano novamente em vantagem, 2 x 1.

Gavião empata novamente, 2 x 2.

Breno também deixa o seu, 3 x 2.

Pedro bate, e o goleiro Betinho defende 3 x 2.

Jucelino cobra e marca o quarto para o time paraibano, 4 x 2.

Miúdo bate muito mal, a bola vai para fora, e o Lastro comemora a classificação, final, Lastro 4 x 2 Santos.

O time paraibano agora fará uma final inédita com o Icó no dia 22 de julho.




Copa Primo Fernandes

Nenhum comentário:

Postar um comentário